O que é o virabrequim e qual sua importância para o motor?


virabrequim

Compartilhe

facebook
twitter
whatsapp
linkedin

O virabrequim é importantíssimo para o bom funcionamento do motor, mas você sabe o que ele faz e como reduzir o seu desgaste? Descubra aqui!

Texto: Bárbara Lira

Foto: Abilene Machine

O virabrequim é um dos principais componentes que compõe o coração de um veículo: o motor. Também chamada de árvore de manivela ou girabrequim, a peça está em contato com partes muito quentes do carro e com atrito constante, por isso, precisa ser robusta e geralmente é feita de aço, o que a torna mais resistente.

Localizado na parte interna do motor, o componente é responsável por receber as forças geradas pelo movimento dos pistões durante a queima ar-combustível e transformá-las em torque rotacional.

O virabrequim fica localizado entre a parte superior do cárter e a parte inferior do bloco (o motor é divido em 3 partes: cabeçote, bloco e cárter – nessa ordem). Em “parceria” com as bielas, o virabrequim é responsável por transformar essa força – citada a cima – em energia rotativa, que chega até o volante do motor veículo.

Outras funções do Virabrequim?

O movimento do virabrequim tem outras utilidades. Na frente do motor, a outra extremidade do eixo do componente se encaixa a uma polia, que aciona o comando de válvulas no veículo (em casos de motores que usam correia dentada ou corrente de distribuição), fazendo ambas as partes funcionarem em sincronia.

virabrequim
Foto: Kojach

Em motores mais antigos ou de grande porte, por exemplo, existem varetas que ligam as válvulas através de um comando inferior, preso no bloco do motor, que é acionado pelo virabrequim. Esse eixo pode acionar também dispositivos como bomba de óleo ou bomba d´água, mas tudo depende da mecânica do veículo e o modelo do motor.

Tem-se outra função através de uma segunda polia – conhecida como Poly-V -, onde o virabrequim aciona quase todos os dispositivos agregados ao motor ou que dependem de movimento, como: direção hidráulica, ar-condicionado e alternador, por exemplo.

Quais os tipos de virabrequim?

Há dois tipos de virabrequim: o fundido e o forjado. Basicamente, no processo de fundição, o aço parte do estado líquido preenchendo o molde até que o material chegue a forma desejada. Já no forjamento, o aço é deformado no estado sólido, até que atinja a figura do molde.

Carros com motor a gasolina, GNV, álcool, flex ou diesel, normalmente têm virabrequins fundidos. No caso de veículos de competição ou de performance – assim como os aviões – o virabrequim é geralmente forjado.

Como evitar a quebra do virabrequim?

O tempo de vida útil desse componente é muito variável: de 80.000 km a 500.000 km rodados. No entanto, o pleno funcionamento dele depende da forma como o motor é utilizado e/ou forçado; de como é feita a manutenção do carro; de quais áreas esse veículo costuma ser dirigido: asfalto, terra, etc.

Normalmente, o principal problema relacionado à baixa vida útil do virabrequim é o óleo lubrificante. Não trocá-lo no período correto ou usar um novo fora da especificação recomendada pela fabricante do veículo pode significar redução drástica na durabilidade do componente.

As peças do virabrequim podem apresentar rachaduras, deformidades ou até quebrar. Então, é importante ficar atento porque isso pode refletir em outros componentes do carro, como: empenar bielas, ocasionar batidas de metal contra metal e acarretar sérios danos aos pistões e até o bloco do motor.

Algumas características do seu veículo podem indicar que seu virabrequim precisa de atenção:

  • Aumento de consumo de combustível;
  • Motor vibrando muito;
  • Superaquecimento do motor;
  • Barulhos metálicos em excesso;
  • Consumo excessivo de óleo lubrificante;
  • Presença de água ou de metais no óleo lubrificante.

Meu virabrequim quebrou. Troco ou conserto?

Em média, a troca dessa peça gira em torno de R$ 700 a R$ 900, dependendo da sua região e do modelo do seu veículo (isso se baseando em modelos populares).

No caso de danos identificados no virabrequim e grana curta, esse componente do motor aceita reparo, no entanto, isso irá depender de algumas hipóteses – indicamos que consulte um mecânico de sua confiança. De qualquer maneira, instalar uma peça nova significa uma vida útil muito maior e menos dores de cabeça.

Outros componentes do motor ligados ao virabrequim

  • Correia dentada: Feito normalmente de borracha de alta resistência, a correia dentada ganha esse nome por ser cheia de formas de lembram “dentes”. Essa peça interliga o virabrequim, na parte de baixo do bloco do motor ao(s) comando(s) de válvulas.
  • Pistão: Produzido em liga de alumínio, tem a parte superior maior, popularmente chamada de “cabeça”. Na outra ponta, existe um orifício, onde um pino – como um parafuso – o une à biela. Os dois trabalham juntos e se ligam ao virabrequim.
  • Biela: Um componente móvel, com duas extremidades – a superior com diâmetro maior, a inferior menor. A parte de cima abriga um pino que é fixado ao pistão, e a parte de baixo é conectada ao virabrequim.
  • Casquilho ou bronzina: Geralmente confeccionado com ligas metálicas. Em forma de meia lua, 2 bronzinas juntas formam um anel que se unem as bielas e promovem a fixação do virabrequim no motor.

Quer vender o seu carro?

Agende uma avaliação e ajudamos a vender no mesmo dia com pagamento a vista e sem burocracia na documentação

Avaliação Gratuita